(021) 2531-1023      contato@danielebalbi.com.br    |   

O que pode desencadear rosácea?

Vermelhidão repentina, hipersensibilidade, coceira, sensação de calor e outros incômodos, como espinhas e irritação nos olhos, são sintomas que os pacientes de rosácea conhecem bem. A Rosácea é uma doença crônica que atinge especialmente a pele do rosto. Costuma ser mais frequente em mulheres de pele clara, a partir dos 25 anos. Embora não seja comum, é possível atingir também pessoas de outras tonalidades de pele e homens.

A rosácea é classificada em quatro tipos: Eritematotelangiectasica, Pápulo-pustular, Fimatosa e Ocular. Em todos os casos com exceção da ocular, que acomete especificamente os olhos, a pele fica vermelha, ardida, espessa e cheia de vasos aparentes ou lesões que se assemelham a espinhas. O tratamento inclui: uso tópico ou oral de anti-inflamatórios, laser, higienização da pele e dos olhos. Nos casos mais graves, a intervenção cirúrgica pode ser necessária para reduzir o volume da pele. 

A situação pode ser agravada pelo consumo de álcool, exposição a temperaturas elevadas (muito quente ou muito frio), exercícios físicos pesados, estresse emocional, alimentos quentes e picantes, etc - o que contribui para que os sintomas se espalhem em outras regiões ao redor do rosto. Para impedir a piora do quadro é preciso estar atento a esses e outros agentes irritantes, como cigarro e perfumes. A origem da rosácea é desconhecida, no entanto, especula-se que algumas questões podem influenciar na incidência: predisposição genética, reação a ácaros e vasos sanguíneos frágeis, por exemplo.

Como qualquer doença crônica, a rosácea não tem cura, mas tem controle para evitar as crises, dependendo do estágio. Aposte em dermocosméticos calmantes, como a água termal; em protetor solar com amplo espectro e FPS 30 e em maquiagem hipoalergênica, para mascarar o rubor sem agredir a pele, se você achar necessário.

Fonte: Medical Site

05 de Setembro de 2019

Agende sua consulta!